domingo, 18 de março de 2012

Criação de personagens #1 - Conceito, História e Personalidade


  Como muitos de nós sabemos, é que os personagens são a parte chave para qualquer RPG.  O RPG todo se passa sempre ao redor dos personagens.  Imagine um RPG sem personagens? Impossível!
  Nessa série de artigos que iremos abordar a criação de personagens detalhadamente, desde a sua personalidade até a sua aparência.

Conceito - Ideia
  Vamos começar com a criação de um conceito para o personagem.  Mas como assim conceito? Bom, um conceito – ou ideia, chame do que quiser – será a base para a criação do personagem.  É baseado nesse conceito que irá fluir histórias, personalidades e a aparência do mesmo.
  Para desenvolvermos um conceito, temos que caracterizar e levar em conta os seguintes fatos:
  • Cenário: O cenário do jogo é muito importante.  Não adianta ter uma ideia de criar um Robô num cenário Medieval, não é?
  • Época: Não se diferencia muito do cenário, mas nem todos os cenários se passam somente em uma época.   Um exemplo disso seria um cenário baseado num jogo de “Vampiro”.  Vampiros não existiram somente na idade atual, certo? O jogo pode se passar na Idade média com os vampiros. Por isso tenha em mente a época também.
  • Outros personagens: Sim, principalmente se você jogar em grupo, você deve ter algo familiarizado com os outros jogadores.  Vocês devem usar a ideia de jogo dada pelo Mestre como conceito, porque não adiantará nada você ter um objetivo totalmente diferente dos outros jogadores.

  Para ajudar a compreender melhor o “guia”, vou criar um personagem no decorrer desses artigos.  Vamos a ele!
Como o cenário do jogo será futurístico – baseado em piratas estelares -, e como a época, é claro, futurística, iremos criar um Personagem mecânica da nave Celsius 2.  Mecânico porque no grupo já havia atacantes, médicos etc.

  Bom, só com essa ideia já da pra termos uma noção de como começar a história do nosso personagem, não é?  Agora que já temos uma base para iniciar a criação do nosso personagem, vamos partir para a criação da história!

História
  Vamos caracterizar a criação da história como fizemos com o conceito:
  • Nome: Sim, é um dos itens mais importantes da nossa lista de criação.  É esse nome na qual você ficará conhecido, seja pelo lado do bem ou não! Baseie o seu nome de acordo com a Época e o Cenário.  Busque saber mais sobre esse época e assim pesquisar nomes que caiam bem em seu personagem.
  • Iniciando: Vamos iniciar contando sobre onde o personagem nasceu.  Uma descrição da cidade (ou qualquer outro lugar que seja) já é uma boa pedida.  Capriche nas descrições, mas também não exagere.  O bom mesmo é começar contando desde o seu nascimento, e ir seguindo essa ordem, para facilitar a compreensão do Mestre.  Não esqueça também de descrever a sua raça (depende do cenário e sistema de jogo)
  • Passado: Conte coisas que podem ter acontecido (que valham a pena serem lembradas) na infância/adolescência de seu personagem.  Uma morte precoce na família? Aprendizagem de habilidades? Treinamentos? Tudo conta para melhor compreensão.
  • Presente: Vamos avançar para a era atual agora.  Depois de você ter detalhado as coisas importantes de sua infância, é hora de partir para o que é o objetivo atual.  Ele irá largar o trabalho com o pai para viver a sua vida de aventureiro com os amigos? Recentemente a sua mulher foi morta e você clama por vingança? São várias as escolhas que o personagem possa recorrer.  Mas lembre-se, é a partir desse “presente” que o RPG começará!

  Agora vamos a nossa “cobaia”...
Para a nossa cobaia, escolhemos o nome Lasstera.  Como a época é avançada e o cenário um tanto quando futurisco/steampunk, as pessoas sempre ganham os nomes de seus pais.  Falta de criatividade deles? Talvez.  (Lass = Nome do pai.  Tera = Nome da mãe.  Mas nem sempre segue esse padrão)
  Lasstera nasceu no condado morto de Industu.  Com a família pobre, no auge de seus 13 anos já saia para trabalhar com o pai no conserto de pequenas naves da cidade.  Com esse trabalho, ele foi adquirindo experiência.  Conhecia o nome da peça e para qual nave seria somente ao olhar para a mesma.  Quando Lasstera atingiu os seus 19 anos, o seu pai venho a falecer com uma doença que vinha se espalhando por toda a cidade.  Já um homem, Lass agora era responsável por sua família, que o mesmo decidiu se mudar daquela cidade levando todos consigo.  Mas algo de ruim estava por vir, e ele não sabia disso...
Assim que a família inteira chegava à estação, um acidente terrível acontecia.  Uma nave de grande porte descontrolou-se e caiu, matando todos que ali estavam perto da saída.  Lasstera minutos antes tinha saído dali para ir ao banheiro, e quando voltava, dava de cara com a sua família morta ali, todos.
Depois de tamanha tragédia, Lasstera agora se sentia sozinho no mundo.  Um vazio tomava conta de seu espirito, que agora estava sozinho naquele mundo hostil.  Assim, Lass voltava para a sua cidade natal e continuava com a fábrica do pai.  Ele Ficou trabalhando nela exatos três anos, até que recebeu uma visita de um homem estranho, lhe convidando para participar de sua equipe...

  A história ficou boa para o começo que o Mestre estava planejando.  Adicionar um pouco de drama e dar notas de como será a personalidade de seu personagem não é crime nessas situações, muito pelo contrário, isso melhora o seu texto.

Personalidade
  Agora vamos caracterizar a Personalidade:
  • O que é? – Antes de tudo, tenho que descrever o que é uma “personalidade” – para leigos.  Personalidade nada mais é do que uma descrição do psicológico de seu personagem.  É baseada nela que as ações de seu personagem irão fluir.  O seu personagem é sem paciência? É calmo? Não liga para as pessoas? A personalidade é basicamente isso: Descrição do psicológico do sujeito.
  • Personalidade geral: Primeiramente descreva basicamente o que o seu personagem pensa sobre o mundo.  Um personagem que odeio os humanos porque eles mataram a sua família não será bonzinho com os mesmos, não acha? Descreva primeiramente a personalidade chave de seu personagem.  Ele é do mau? Ele é daqueles que se preocupa com o bem estar da pessoas/amigos? Nessa caracterização da criação de Personalidade não temos muito que acrescentar, é basicamente isso mostrado acima! Se ainda está com dúvidas, veja o exemplo abaixo e inspire-se.  
Lasstera não tem mais nada. Perdeu a sua família inteira. Sente-se um lobo solitário num mundo que nem ao menos conhece. Sente-se inseguro, não sabe o que fazer da vida. Depois de tal tragédia, ficou mais frio, não liga muito para as pessoas ao seu redor porque acha que a culpa da morta da sua família era dele, então não quer que outras pessoas morram por causa dele. Esse também é dos motivos dele não falar muito, mas de pensar muito. É muito esperto, dificilmente alguém lhe enganará, os seus anos de mecânico lhe deixaram com mais aptidão para observação.

  Uma descrição de personalidade básica.  Não temos uma regra certa para descrever.  Apenas escreva o que o seu personagem sente, vê e acha sobre o que acontece ao seu redor – e consigo mesmo!

  A lição de hoje é basicamente isso.  Já temos o conceito, história e personalidade do nosso personagem.  Na próxima lição iremos abordar a aparência e habilidades/pericias.  Fiquem ligados no blog para a próxima lição.
  Então pessoal, gostaram? Comentem dizendo o que acharam, ou até mesmo se gostariam de acrescentar alguma coisa, dúvidas também serão respondidas! É isso, até a próxima postagem.

domingo, 26 de fevereiro de 2012

Voltando com o blog + Novidades sobre o RRPG...

  Antes de tudo tenho que avisar que estou voltando com o blog! Vou voltar com os downloads, artigos etc.  Fiquem de olho nas atualizações que pretendo postar sempre aos finais de semanas!
______

  Passando rapidamente aqui para dizer para aqueles que não sabem quanto tempo lhes restam de Gold no RRPG, que seus problemas estão prestes a acabar.
Recentemente, na sala "Mural do RRPG", um membro me perguntou se havia uma opção para saber o quanto de Gold (dias) ele ainda tinha.  Foi o tamanha surpresa que eu não tinha pensado nisso antes... Nem o Alysson (ADM) tinha pensando nisso antes.  Então mandei um email para ele hoje cedo e logo recebi essa resposta:


Bom, agora já está registrado! Se passar muito tempo e ele não fizer essa função de "Status de Gold", já podemos cobrar. 


Atualização!

 Venho aqui nesse final de tarde para comunicar que foi encontrado um modo de verifica quantos dias a pessoa ainda tem de "Gold".  Segundo o membro "Dendriel_Karlay", só o que você tem a fazer é entrar na loja do RRPG: Clique na "Estrela" que fica lá na Janela principal do RRPG ou clique nesse link.  Depois de entrar na loja, vá em "Meus pedidos", assim terá lá a data da última compra.  Assim é só fazer as contas e pronto, já da para saber quando irá expirar o seu "Gold".
  Agradeço ao membro Dendriel_Karlay por nos mostrar essa alternativa!

sexta-feira, 15 de julho de 2011

Isso é RPG de Mesa?

Olá aventureiros! Desculpe a falta de postagem... mas chega de desse papinho de sempre e vamos logo com isso.

Não sei se é só eu, mas ando muito triste do modo de que o RPG Online está indo.  Estou vendo isso no RRPG, não que os outros programas não sejam também, é que eu não frequento eles. 

Mas qual será o problema? Simples:
"Voçes chegam na cidade, crianças correm por tudo e chega um velho e fala.
NPC Velho: - Oi
NPC Velho: - Voçes procuram aventuras? Ok tenho uma..."

Entenderam do que eu estou falando?
Vendo essas ações acima, eu me pergunto: "Onde está a magia do RPG de Mesa alí?".  Você está vendo? Se estiver, me mostre!
Cadê a descrição da cidade quando chegamos nela? Só há crianças correndo? E ainda sim falta a descrição do velho, como ele é? Alto? Baixo?....
Sim, isso é #tenso, mas, de qualquer jeito, muito dificilmente isso mudara.  Porque, ao meu ver, acho que estão pensando que isso é um Jogo de Console, onde é só "ir e matar o cara lá".  Mas será que é isso mesmo? O que você acha disso? Comente, deixe a sua opinião, reclame, "xingue"!

O sol quente da tarde queimava os Heróis, na qual tinham caminhado por estradas de terra até chegar na cidade de Hirule.  Uma cidade rodeada de casas de pedra, alguns mercantes ao fundo gritavam tentando vender o seu peixe.  Guardas, como de custume, observavam tudo o que acontecia.  Ainda podia-se ver a poeira deixada pelas crianças correndo pelas estreitas estradas.  Até que um velho, vestia roupas velhas, nem roupas pareciam, parecia mais panos rasgados.  Coçando a sua grossa e extensa barba, chega perto dos Heróis e lhe pergunta...

sábado, 28 de maio de 2011

Sessão de RPG: O mistério de Faendull, sessão 1

Essa foi a primeira sessão.  Para ver o prologo da mesma, clique aqui.  E, para ver a sessão completa, continue lendo...

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Sessão de RPG: O mistério de Faendull, prologo

 Há 200 anos atrás, Faendull foi um reino próspero e livre. Seu governante, o rei Berthos era visto como um homem bom pelo povo. Foi então que, buscando auxilio na magia, Berthos contratou três grandes feiticeiros para serem seus conselheiros: Iagoth, Sarloch e Rubon. Foi então que os problemas começaram. Os três feiticeiros logo se questionaram quando a curiosidade do grande rei. Ele primeiro perguntava sobre magias simples de adivinhação, depois perguntava sobre invocações, até que suas dúvidas ficavam mais obscuras e em pouco tempo estava querendo saber sobre demônios. Sarloch parecia conhecer mais deste assunto e foi o que mais recebeu atenção do rei. Iagoth não crendo que o rei poderia estar se corrompendo, logo formou uma força de elite de soldados fieis, e junto com Rubon, desmascarou Berthos. O rei havia descoberto uma masmorra sob seu castelo onde fora aprisionado diversos demônios. Berthos e Sarloch, ao serem desçobertos por Iagoth, invocaram vários demônios e
enfrentaram o exercito. A luta foi difícil, mas Iagoth e Rubon saíram vitoriosos. Após a batalha nas masmorras, os feiticeiros e os soldados fizeram uma reunião com as casas nobres do reino e revelaram sua historia. Com a renuncia do irmão de Berthos, as casas elegeram Iagoth como o sucessor do trono. Durante 10 longos anos, Iagoth governou
o reino de Faendull. O povo não estava muito contente com Iagoth, pois consideravam Berthos um rei bondoso e que Iagoth havia o matado para conseguir o trono. Foi então que uma peste se alastrou pelas cidades. O povo ignorante acusou o feiticeiro. Ninguém soube de onde veio, ou como se alastrou tão rápidamente, mas a peste matou todas as pessoas da cidade. As poucas sobreviventes que conseguiram fugir sem contrair a doença contam que nos últimos dias, Iagoth proibiu as pessoas de sair da cidade. Mandou trancar as passagens e matar todos os cavalos.

Onde é jogado: RRPG
Dias: Sábados
Jogadores:
Kilapo = Keiudran Lenalt
Lukz = Kain Holtz
sheen896 = Sheen
naoqueroNARRAR = Ytuk Shinyplant

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Mestrando...

Nesse artigo não irei "ensinar a Mestrar bem...". Simplesmente irei dar a vara para que possam pescar...!
Antes mesmo de começarmos a narrar, temos que ter um conceito do que vamos começar a base na Narração. Por esse motivo é sempre bom ter uma História base para o seu RPG, até mesmo um pequeno Prologo para que você comece a narrar. Também, uma ótima alternativa, é por os Players a "trabalhar". Players com uma boa história inicial ajuda bastante!
Enfim, agora que já começamos no básico, agora começaremos na arte de "Mestrar".
Quando começar, tente dar descrições sobre onde os Players estão, o que eles fazem alí. Descreva bastante o cenário, pois ele é muito importante.

Exemplo:

" Soava o vento na cara de nossos aventureiros, os mesmos nem ao menos podiam abrir os olhos. Já escalavam aquela montanha há algum tempo. O caminho era estreito, a sua direita se encontrava um penhasco, onde quando cainham pedras, não se ouvia o baque delas ao se aproximar ao se chocar ao chão. Ao outro lado, parecia que se encontrava uma parede, a mesma com pedras caindo, não grandes, mas tão menores quanto poderiam machucar alguém alí. A sua frente não se via o final daquele caminho. Olhavam acima e não conseguiam ver o final da montanha... "

Essa foi uma breve e simples descrição do cenário. Um descrição assim dá uma breve noção aos Players de onde eles estão. A cena se constroe na sua mente, parecendo que eles estão vendo um filme, vendo seus personagens agindo, mas agindo por ordem deles.
Uma boa descrição também não deve ser feita somente pelo cenário - é óbvio. A mesma deve ser feita nos " NPCs " ( os personagens NÃO jogadores, que são controlados pelo Mestre de jogo). Tente descrever bastante o NPC, imagine como ele é na sua mente, depois, escreva tudo que você viu. Explique também os minimos detalhes. Isso também pode servir com uma foto. Pegue a mesma e descreva ela com a suas palavras.

Exemplo:

" Depois de algum tempo subindo a montanha, os aventureiros chegam no topo da mesma. O vento parece estar mais forte. O chão alí é todo cheio de buracos e grandes pedras.
Depois de andar um pouco pelo cenário, os players encontram um pessoa alí. A mesma se encontrava de costas. A espada era grande, se encontrava nas costas, a mesma começava no pescoço e terminava quase que no tornozelo. Abaixo da espada se encontrava um capa preta, que cobria todo o corpo, um cinturão cortava a barriga, servia para segurar a capa e servia de estoque para mais outras coisas que se encontrava alí amarradas; vidros pequenos, com um cor verde forte; uma faca pequena; um lenço, tinha manchas de cor vermelho. Notava que era um homem, os braços nus ao vento, cheios de cabelo, se encontravam com marcas, parecia mais aqueles soldados aposentados de guerra.
Ele foi se virando lentamente. O seu longo cabelo negro flutuava com o vento, dando espaço a sua cara, dois olhos negros olhavam atentamente aos aventureiros que alí estavam. Um risco no olho direito, que descia até o final da boca. Sombrancelhas grandes, ligados uma na outra. Virado totalmente de frente para os aventureiros, ele se encontrava com o peito nu, cheio de pelos, com um corte bem no meio da barriga. A sua calça, ou algo que era para ser uma calça, se encontrava rasgada, aquilo mais parecia um pedaço de pano. E por final, ele se encontrava descalço..."

Isso já serviu para terem uma noção (acho que exagerei nesse último exemplo xD). Sempre é bom detalhar ao máximo. Como eu sempre digo: O RPG é feito por detalhes! Isso quase sempre é verdade. Um jogo bem detalhado, na parte do Mestre e na dos jogadores, deixa o jogo mais "cool". Caso contrário, o jogo fica muito "chato", e os players ficam pensando: " Isso nunca vai acabar"?

Foi isso, espero que isso sirva de ajuda para alguém. Lembre-se sempre de dar muitos detalhes, em qualquer lugar !

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

RRPG ficará fora do AR...

Essa noticia é muito chata. Mas, fazer o que... para os que ainda não sabem, o RRPG ficaram fora do AR durante TODO o mês de Fevereiro. Isso acontence porque o Alysson (criador do Programa), esteve com dificuldades no mês que se passou. Mas veja pelo lado bom, em Março ele pode estar de volta! O que nos resta é esperar...

Mas, e para onde os Jogadores do RRPG irão? Será que irão para o RPG2ic? Será que irão voltar depois?! Ou será que ficarão aguardando o Programa voltar?
Duvidas Cruéis....